ASPECTOS DA ASCENSÃO DO COOPERATIVISMO NA SOCIEDADE DO SÉCULO XXI COMO FATOR DE CRESCIMENTO ECONÔMICO

Autores

  • Edilene Mayumi Murashita Takenaka FATEC

Palavras-chave:

Economia, Sustentabilidade, Cooperativa

Resumo

A economia brasileira tem passado por contínua instabilidade política, econômica e social gerando grandes impactos na economia brasileira. A atividade cooperativista surge como um empreendimento de negócio, que gere renda e desenvolvimento econômico, sendo uma saída para o desemprego e a crise econômica que acaba por castigar as classes sociais menos favorecidas. Uma vertente do cooperativismo que encontra-se em crescimento no Brasil são as cooperativas de trabalho voltadas a coleta seletiva de resíduos domésticos. O presente trabalho teve por objetivo identificar os pontos que levam trabalhadores autônomos a adotar o cooperativismo como alternativa de trabalho e ascensão social e econômica. Para tanto, considerou-se buscar uma compreensão particular do tema estudado enfocando a realidade brasileira concernente ao tema a partir do uso do método qualitativo que tem caráter exploratório através de pesquisa bibliográfica, pesquisa descritiva e pesquisa documental. Concluiu-se que as cooperativas representam uma alternativa à retração de postos e rendimentos do trabalho, atuando em favor de um desenvolvimento baseado na desconcentração do capital e distribuição de renda.

Referências

CESARIN, H. de C. S. Pesquisa cientifica: da teoria à prática. Curitiba: InterSaberes, 2012.

DENZIN, N. K. e LINCOLN, Y. S. Introdução: a disciplina e a prática da pesquisa qualitativa. In: DENZIN, N. K. e LINCOLN, Y. S. (Orgs). O planejamento da pesquisa qualitativa: teorias e abordagens. 2. ed. Porto Alegre: Artmed, 2006. p. 15-41.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2007

ICA- International Co-operative Alliance. ¿Qué es una cooperativa? Disponível em:<http://ica.coop/es/node/10584>. Acesso em 13 abr. 2017.

JACOBI, P. R.; BESEN, G. R. Gestão de resíduos sólidos em São Paulo: desafios da sustentabilidade. Estud. av., São Paulo , v. 25, n. 71, p. 135-158, Apr. 2011 . Available from <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-40142011000100010&lng=en&nrm=iso>. access on 08 Dec. 2019.

LAKATOS, M. E.; MARCONI, M. A. Metodologia do trabalho cientifico. 4 ed-São Paulo. Revista e Ampliada. Atlas, 1994.

LAKATOS, M. E.; MARCONI, M. A. Fundamentos de metodologia científica. 7ª ed. São Paulo: Atlas, 2010.

LEOPOLDINO, C. J. Elementos Conceituais e Históricos do Cooperativismo. Ciências Sociais Aplicadas em Revista - UNIOESTE/MCR - v. 11 - n. 20 - 1º sem. 2011 - p. 141 a 156 - ISSN 1679-348X. Disponível em:< e-revista.unioeste.br/index.php/csaemrevista/article/download/7618/5625>. Acesso em: 15 mai. 2017.

MAGNI, A. A. C.; GUNTHER, W. M. R. Cooperativas de catadores de materiais recicláveis como alternativa à exclusão social e sua relação com a população de rua. Saude soc., São Paulo , v. 23, n. 1, p. 146-156, Mar. 2014 . Available from <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-12902014000100146&lng=en&nrm=iso>. access on 08 Dec. 2019.

MATHIAS, B. Dia de cooperar e participar. (2015) . Disponível em:< https://bethmatias1.jusbrasil.com.br/artigos/205176220/dia-de-cooperar-e-participar?ref=serp>. Acesso em: 15 mai.2019.

NASCIUTTI, J. C. R. et al. Cooperação e autonomia: desafios das cooperativas populares. Cadernos de Psicologia Social do Trabalho, vol. 6, p. 91-107, 2003. Disponível em:< http://pepsic.bvsalud.org/pdf/cpst/v6/v6a07.pdf>. Acesso em: 10 out. 2018.

OCB – Organização das Cooperativas Brasileira. O que é o Cooperativismo. Disponível em:<http://www.somoscooperativismo.coop.br/#/o-que-e-cooperativismo>. Acesso em 13 abr. 2018.

PINHO, D. B. A doutrina cooperativista nos regimes capitalista e socialista. São Paulo:Pioneira,1965

__________. Empresa cooperativa, análise social, financeira e contábil. São Paulo: Copercultura, 1986

RICCIARDI, L.; JENKINS DE LEMOS, R. Cooperativa, a Empresa do Século XXI: como os países em desenvolvimento podem chegar a desenvolvidos. São Paulo: LTr, 2000.

ROLLEMBERG, M. Cooperativismo. Brasília, 1996.

ROSALEM, V. et al. Gestão de cooperativas: um estudo sob o olhar do cooperado. APGS, Viçosa, v1. n.1, pp. 46-66, jan/mar 2009. Disponível em:<http://www.apgs.ufv.br/index.php/apgs/article/view/3/4#.WdbpNGhSzIU gestão de cooperativas: um estudo sob olhar do cooperado.>. Acesso em: 5 out. 2017.

SCHNEIDER, J. O. A doutrina do cooperativismo: análise do alcance, do sentido e da atualidade dos seus valores, princípios e normas nos tempos atuais. Cadernos de Gestão social, Salvador, 3(2), 215-273, 2012.

SILVA, E. A.; PEREIRA, J. R.; BOTELHO, M. I. V. A Organização Cooperativa e seus Princípios Democráticos. Organizações Rurais e Agroindustriais, v.7, n. 2, p. 135-147, 2005.

SOUZA, A. M. et al. A evolução histórica do cooperativismo. Maringá Management: Revista de Ciências Empresariais, v. 4, n.1, - p.35-42, jan./jun. 2007, Disponível em:< http://www.maringamanagement.com.br/viewarticle.php?id=38> Acesso em: 14 mai. 2018.

TRIVIÑOS, A. N. S. Introdução à pesquisa em ciências sociais: a pesquisa qualitativa em educação. São Paulo: Atlas, 1987.

VIANA, G. S. O cooperativismo como alternativa para os assentamentos rurais coletivos dos municípios de Querência do Norte e Paranacity/PR. Dissertação (Mestrado em Geografia) – Faculdade de Ciência e Tecnologia/UNESP, 2003

ZANATTA. R. A. F. Cooperativismo digital: princípios cooperativistas nas economias digitais. Infocoop, ed. 71.2016. Disponível em:< https://rededocooperativismo.com.br/cooperativismo-digital-principios-cooperativistas-nas-economias-digitais/>. Acesso em: 16 mai. 2018.

ZUCATTO, L. C.; NUNES DA SILVA, T. Empreendedorismo Cooperativo: Evidências a Partir dos Estudos Histográficos de Duas Cooperativas de Eletrificação Rural do RS. Rio de Janeiro: 2014 EnANPAD – 2014 PDF. Disponivel em: http://www.anpad.org.br/admin/pdf/GCT1576.pdf. Acesso em: 12.nov.2018

Publicado

22-12-2019

Como Citar

TakenakaE. M. M. ASPECTOS DA ASCENSÃO DO COOPERATIVISMO NA SOCIEDADE DO SÉCULO XXI COMO FATOR DE CRESCIMENTO ECONÔMICO. Revista Alomorfia, v. 3, n. 1, p. 32-40, 22 dez. 2019.

Edição

Seção

Artigos