Substâncias Antinutricionais nas Folhas e Raízes de Gliricídia

Autores

  • Haroldo Wilson Silva Fatec - Faculdade de Tecnologia de Presidente Prudente https://orcid.org/0000-0003-2360-8599
  • Vanusca Dalosto Jahno Universidade Feevale, Instituto de Ciências Exatas e Tecnológicas https://orcid.org/0000-0001-9314-0798
  • Sidnei Favarin Fatec - Faculdade de Tecnologia de Presidente Prudente
  • Angela Madalena Marchizelli Godinho Fatec - Faculdade de Tecnologia de Presidente Prudente

Palavras-chave:

Análise espectral, Leguminosa arbórea, Produção vegetal

Resumo

Objetivou-se analisar a presença de substâncias antinutricionais nas Folhas e raízes de gliricídia usando o método espectroscópico de infravermelho (IV) e análise Termogravimétrica (TGA). A gliricídia é uma leguminosa arbórea perene de elevada produtividade de folhas comestíveis, nativa do México e América Central introduzida no Brasil. A multiplicação de gliricídia pode ser feita através de sementes ou por estacas. Nesta pesquisa optou-se pela produção de mudas através de sementes. Entretanto seu uso in natura na dieta total pode ser limitado devido a fatores antinutricionais presentes nas folhas. Possui propriedades tóxicas atribuídas à presença da cumarina e sua conversão em um produto hemorrágico, o dicumerol, quando fermentadas por bactéria. O experimento consistiu na produção de mudas de gliricídia durante dois meses, mantidas sob condições de irrigação em estufa. Foi realizado corte aleatório de algumas mudas para análise espectral de folhas e raízes de gliricídia. Quanto a metodologia esta pesquisa tem caráter descritivo, uma vez que se propõe a descrever características de determinada população com procedimentos técnicos utilizados de cunho experimental. As variáveis delimitadas foram: compostos fenólicos, ácido carboxílico, saponinas pertencentes aos flavonoides e presença de álcoois, ésteres e éteres. Conclui-se que, a folha de gliricidia contém compostos fenólicos e ácido carboxílico, presente na parte fenólica da gliricídia.  Há a presença de saponinas pertencente aos flavonoides, compostos característicos de folhas de gliricídia, bem como a presença de compostos aromáticos. Enquanto, a raiz de gliricídia possui alcalóides e também contém compostos fenólicos e ácido carboxílico, também a presença de álcoois, ésteres e éteres.

Biografia do Autor

Haroldo Wilson Silva, Fatec - Faculdade de Tecnologia de Presidente Prudente

Mestrando em Ciência e Tecnologia Animal Tecnologia em Produção Agropecuáia - Curso em Andamento   Especialista em Bovinocultura Leiteira: Manejo, Mercado e Tecnologias - Universidad Federal e Lavras   Técnico em Agropecuária - Colégio Agrícola Dom Agostinho Ikas - UFRPE   Tenho experiência como parecerista   Membro de Banca Avaliadora de Apresentação no 24º EVINCI/UFPR, 2016.

 

Membro de Banca Avaliadora de Apresentação de Trabalhos durante a 8ª SIEPE/UFPR, 2016.

Membro convida da Banca Avaliadora do evento “Seminários sobre Caprinocultura” – UFPR, 2016.

Parecerista ad hoc – Acta Scientiarum Animal Science Universidade Estadual de Maringá.

 Parecerista “ad hoc” dos Anais de Resumo Expandidos do SIMBRAS. Universidade Federal de Viçosa.

 Parecerista “ad hoc” da Revista RBAS – Revista Brasileira de Agropecuária Sustentável

 Atuação como avaliador “ad hoc” de um artigo da Revista Brasileira de Saúde e Produção Animal.

Referências

ADEKUNLE, O. K. and AKINLUA, A. Nematicidal effects of Leucaena Leucocephala and Gliricidia Sepium extracts on meloidogyne incognita infecting okra. Journal of Agricultural Science, v 52, p. 53-63, 2007.

ARAÚJO, G. G. L.; ALBUQUERQUE, S. G.; GUIMARÃES FILHO, C. Opções no

uso de forrageiras arbustivo-arbóreas na alimentação animal no Semiárido do Nordeste.

Embrapa Semiárido - CPATSA. 2006.

CARVALHO FILHO, O. M. de; DRUMOND, M.A.; LANGUIDEY, P.H. Gliricidia sepium, leguminosa promissora para regiões semiáridas. Petrolina: EMBRAPA-CPATSA, (Circular Técnica, 35),16 p., 1997.

COSTA, B.M. da, et al. (Avaliação de Folhas de Gliricídia sepium (Jacq.) Walp Por Ovinos. Revista Archivos de Zootecnia, p.33-41, 2009.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2010.

HUGHES, C. E. Biological considerations in designing a seed collection strategy for Gliricidia sepium. Commonwealth Forestry Review 66, 31-48, 1987.

OLADUNMOE et al. Antibacterial and Ftir Spectral Analysis of Methanolic Extract of Gliricidia sepium Leaves. Journal of Advances in Microbiology, v 9(4), p.1-10, 2018.

QUINTERO DE VALLEJO, V. E. Evaluación de leguminosas arbustivas em la

alimentación de conejos. Livestock Research for Rural Development, v.5, n.3, p.1-7,

RANGEL, J.H.A.; MUNIZ, E.N.; OTTO DE AS, C. et al. Implantação e manejo de legumineira com gliricídia (Gliricidia sepium). Embrapa Tabuleiro Costeiro, (Circular Técnica 63), Aracaju/SE, julho, 2011.

SILVA, M. D. A. et al. Avaliação da composição químico-bromatológica das silagens de forrageiras lenhosas do semiárido brasileiro. Semina: Ciências Agrárias, Londrina, v. 36, n. 1, p. 571-578, 2015.

SIMONS, A. J.; STEWART, J. L. Gliricidia sepium, a multipurpose forage tree legume.

In: GUTTERIDGE, R.C.; SHELTON, H.M. (Eds.). Forage tree legumes in tropical

agriculture. Wallinford: CAB International, p.30-48, 1994.

Publicado

29-12-2020

Como Citar

SILVA, H. W.; JAHNO, V. D.; FAVARIN, S.; MARCHIZELLI GODINHO, A. M. Substâncias Antinutricionais nas Folhas e Raízes de Gliricídia. Revista Alomorfia, v. 4, n. 3, p. 123-130, 29 dez. 2020.

Edição

Seção

Artigos